Depoimentos

Ao longo da minha carreira, centenas de pessoas compuseram uma espécie de mosaico de vivências e relações. Para transmitir a bagagem adquirida durante o período na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), tão importante quanto os títulos e pesquisas são os relatos daqueles que compartilharam parte do meu caminho. Por isso, compartilho algumas mensagens de colegas de trabalho, pesquisadores, alunos e orientandos. Confira os depoimentos.

Gisele Eva Bruch

Sou Gisele Eva Bruch, nascida no interior do Rio Grande do Sul, numa pequena cidade chamada Feliz. No entanto, toda minha formação escolar e a faculdade de farmácia foram cursadas na cidade de Pelotas. No final do curso pensei em fazer mestrado na Universidade Federal do Rio Grande e através do amigo André Koth fui apresentada à Professora Daniela Martí Barros, Dani para os íntimos e queridos.


A seriedade, fala direta e pragmática da Professora Daniela assustaram um pouco na primeira conversa. No entanto, as mesmas características também me agradaram, pois vi naquele momento a oportunidade de desenvolver um trabalho sério, honesto e próspero.


Após uma longa conversa fui aceita para fazer o mestrado sob sua orientação e iniciar os trabalhos em seu grupo de pesquisa. E nesse momento, muitas coisas positivas e as vezes um tanto inesperadas no meio acadêmico iniciaram: uma relação orientador/orientando presente e construtiva, acolhimento em um grupo de pesquisadores e pessoas excelentes e uma grande amizade baseada em respeito e admiração foi sendo construída com laços fortes que perduram até hoje.

 
Deste início até os dias de hoje vivemos muitas conquistas e desafios juntas. A Dani me apoiou em todas as “empreitadas” científicas possíveis, até as mais improváveis. Aceitou me orientar no doutorado, me incentivou a tentar o estágio no exterior…e juntas chegamos ao MIT (Massachusetts Institute of Technology), uma das melhores universidades do mundo.


Dentre as características da Dani, as que mais me marcaram foram a sua capacidade de evolução, crescimento e sua percepção em relação as pessoas ao seu redor. Acredito que essas foram as principais características que a fizeram construir uma carreira sólida, de sucesso e cheia de amigos que foram cativados nesse caminho.

Odila Eli Dickel

Professora Dra. Daniela Martí Barros

Inicio dizendo que não sou “boa” em fazer este tipo de relato, pois nem sempre consigo dizer tudo que gostaria ou que a pessoa merece ouvir e ler!! Mas... vamos lá. Sou Odila Eli Dickel; estudei na Universidade Federal do Rio Grande-FURG, em Rio Grande, no período compreendido entre 1999 a 2007; oriunda de Pelotas.


Meu primeiro contato com a professora aconteceu quando estagiava no projeto de extensão sobre uso ilícito de drogas desta Universidade (CENPRE), onde a professora Daniela (carinhosamente chamada por seus orientandos e alunos em geral de Dani), também desempenhava suas funções naquela época. Foram momentos proveitosos e de muita aprendizagem, que utilizo com frequência em meu trabalho como professora na rede Municipal de Ensino em Pelotas e Morro Redondo.


Depois deste contato inicial, fui sua aluna na disciplina de farmacologia onde tive a oportunidade e o privilégio de tornar-me também sua aluna estagiária no laboratório de neurociências, aumentando nossa convivência e, desde então, mantemos laços de amizade. Durante a caminhada de formação, tivemos alegrias e tristezas (por que não dizer!!) sempre compartilhadas com muito respeito, dedicação, comprometimento e trabalho.

 
Dani foi minha orientadora na Graduação e no Mestrado. Sabia de sua exigência com os alunos (gosto disso!), mas a escolha dela como orientadora se deu por diferentes motivos: dedicação; vibração e comprometimento com seu trabalho; atenção com seus alunos; preocupação com o aprendizado e a formação dos mesmos tanto nos trabalhos que orienta, como na formação (social, humana) para a vida!

 
Não media esforços em conseguir recursos e coisas novas para seus orientandos (experimentos e aparelhagens que trouxessem novas interpretações e consequentemente resultados mais contundentes para os trabalhos) assim como valorizava o aluno, respeitando os limites de cada um.


Também sempre se preocupou e batalhou por recursos financeiros para que seus orientandos pudessem participar de eventos, pois era premissa a apresentação dos trabalhos, quer seja em congressos internacionais, nacionais, de iniciação e mostras científicas em diferentes instituições de ensino. 


Talvez algumas coisas importantes ficaram esquecidas, sem serem ditas... Professora, pesquisadora contumaz, orientadora, amiga. Hoje sou sua colega, mesmo que em instituições diferentes e com graus diferentes, mas me espelho muito nos conhecimentos por ela passado a mim. Esta é Daniela! DESEJO SUCESSO SEMPRE!!! Obrigado por seres assim e por me induzir a ser a pessoa que sou em todos os sentidos!

Lidiane Dal Bosco

Meu nome é Lidiane, sou formada em biomedicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em meados de 2009, enquanto ainda cursava o mestrado em fisiologia na UFRGS, procurei a professora Daniela para avaliar a possibilidade de realizar o doutorado sob sua orientação no Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas – Fisiologia Animal Comparada da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).  Desde este primeiro contato pude perceber a seriedade do trabalho e a dedicação da professora Daniela ao seu grupo de pesquisa. O espírito de acolhimento, união e cooperação do grupo foi decisivo para que eu conseguisse realizar o doutorado em uma área que era completamente nova para mim. Também foi fundamental para minha formação a confiança que a professora Daniela depositou em mim e no meu trabalho, com o estímulo e a exigência que me permitiram crescer como pessoa e profissional, superando dificuldades e desenvolvendo autonomia e autoconfiança. Exemplo disso foi minha inserção na carreira docente em meados de 2012, quando fui aprovada em um concurso para professor substituto de farmacologia. Na época pensei que não conseguiria conciliar as atividades da pós-graduação com a docência, mas graças ao incentivo da professora Daniela e à dedicação da equipe gerenciada por ela, consegui desenvolver ambas atividades e ter a experiência docente que foi decisiva para minha carreira. Além da pesquisa e da docência, também tive a oportunidade de atuar em projetos de ensino e extensão coordenados por ela, dentre os quais o NeuroEduca, cujas experiências foram muito ricas e marcantes. O período em que trabalhamos juntas me proporcionou um grande aprendizado, mas acima de tudo muitas memórias que recordarei sempre com muito carinho. À Daniela só tenho a agradecer pela confiança e pelo exemplo de liderança, ética e superação que me inspiram na vida profissional e pessoal.
Lidiane Dal Bosco, professora do magistério superior na Universidade Federal do Pampa.

Arthur Cordeiro

Meu nome é Arthur Poester Cordeiro, sou natural de Rio Grande - RS e me formei em Engenharia Bioquímica em 2016 pela Universidade Federal do Rio Grande. Conheci a Professora Daniela Barros em 2013 no Laboratório de Neurociências quando iniciei os trabalhos de iniciação científica junto a um dos projetos orientado por ela na época. Embora nosso contato fosse apenas no laboratório, uma vez que meu curso não tinha nenhuma disciplina que ela lecionasse, desenvolvi uma relação infinitamente mais próxima com ela do que com muitos professores os quais convivi diariamente durante minha graduação; porque, no meu caso, além de se preocupar com as atividades do laboratório, a professora Daniela sempre demonstrou preocupação com o profissional e ser humano que estava prestes a se formar.


Com ela pude aprender que o ambiente acadêmico vai muito além de notas e resultados de experimento, claro que tive a oportunidade de trabalhar em diferentes projetos, publicar artigos e ganhar prêmios acadêmicos, mas o que mais me marcou após conhecê-la, foram as experiências que eu pude vivenciar e as pessoas que pude conhecer e que me marcaram para sempre. Inclusive, elas ainda fazem parte de mim, e tiveram um papel fundamental para que eu me tornasse a pessoa que sou hoje. E é graças a oportunidade que tive de trabalhar junto a professora, as doutorandas(os) e mestrandas(os) que surgiu a vontade de me tornar pesquisador, e hoje sou aluno do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de Santa Catarina.

 
Desse modo, gostaria de concluir falando da minha admiração para com a professora Daniela Barros, já que ela é a tipo de profissional que desmistifica a imagem de professores inacessíveis, sempre com seu jeito aberto de falar, me ensinou que ser professor/orientador vai muito além da sala de aula. O LabNeuro foi minha segunda família, e levarei essa experiência maravilhosa por toda a minha vida.

Renan Campos

Eu sou Renan, em 2007 comecei a cursar o bacharelado em Ciências Biológicas na FURG (Universidade Federal do Rio Grande), em Rio Grande, cidade onde nasci. Como a FURG, ao menos naquele momento, tinha por mote ser uma universidade 'voltada para o ecossistema costeiro', ao iniciar o curso passei por alguns laboratórios, trabalhando com assuntos, no geral, relacionados à ecologia.


Em determinado momento de 2008 tomei conhecimento do surgimento de uma vaga no laboratório de neurociências, dirigido pela Dra. Daniela Barros. Como me interessava sobre o assunto, pedi para participar como estagiário no LabNeuro, que me chamou a atenção também por diferir do então priorizado 'ecossistema costeiro'. Após passar pelo crivo da Dra. Daniela (que logo passou a ser a 'Dani'), passei a fazer parte do grupo. Trabalhei no LabNeuro durante alguns anos e junto com a Dani desenvolvi projetos, apresentei trabalhos em congressos, participei da organização de eventos e apresentei meu trabalho de conclusão de curso. Logo ingressei no curso de mestrado em fisiologia animal comparada, que concluí também sob a orientação da Dani, na FURG.


Durante todo esse tempo, a contribuição da Dani para o meu desenvolvimento profissional foi enorme. E, acredito tão importante quanto, a contribuição como pessoa (consideração, empatia, confiança) foi evidente durante todo o caminho. Sem dúvida, junto ao crescimento profissional, nos desenvolvemos como entes sociais e, para além do conhecimento científico, a capacidade de transmitir também valores humanos e a preocupação que ela sempre demonstrou para com os alunos são qualidades que me inspiraram (e ainda inspiram) grande admiração pela Dani, desde o início.


Após o mestrado fui contemplado com uma bolsa de estudos para cursar doutorado pleno em outro país. Em dezembro de 2017 defendi minha tese e obtive o título de doutor em neurociências pela Universidade de Bordéus, na França. Se obtive esse título, foi com muito esforço; e nessa conquista vejo claramente a contribuição da Dani, em vários aspectos. Também por isso, sou grato a ela.


Penso que o acaso me agraciou com uma mentora que de mim tem nada menos que a minha gratidão e a minha admiração. Além o meu percurso, tenho certeza que a Dani ajudou a construir muitos outros e certamente ainda o faz, inspirando as pessoas do seu entorno a progredirem em todos os sentidos.


A ti, Dani, deixo um grande abraço; te desejo muito sucesso e felicidade!

Rosiane de Aguiar

Bem, meu depoimento começa com minha história junto à Profa. Dra. Daniela Martí Barros, à quem passarei a me referir apenas como Dani em virtude de nossa jornada juntas e do respeito e admiração mútuos que se estabeleceram ao longo de mais de meia década de convivência. Quem sou eu? Hoje, graças a muitas pessoas, incluindo a Dani, sou a Profa. Dra. Rosiane de Aguiar.


Lembro como se fosse ontem, a tarde quente em que adentrei o escritório de alguns dos professores do PPGCF em busca de uma oportunidade de cursar o Mestrado. Vinda de Pelotas, sem conhecer absolutamente ninguém na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), fui me apresentar como candidata. Decidida a trabalhar com mamíferos, enfrentei um pelotão de questionamento na primeira visita. Solicitei e consegui permissão de assistir as aulas de Fisiologia Animal Comparada no campus Carreiros. Até aqui, nem passava pela minha cabeça conhecer a Dani. Pelo que havia visto no dia de minha primeira visita a um dos campi da Furg no centro da cidade do Rio Grande, acreditei que não haviam mulheres no PPGCF.


Muitas tardes passei viajando entre as cidades de Pelotas e Rio Grande, sentada sob árvores ou em cantos da imensa biblioteca, estudando conteúdos que minha graduação não havia me ofertado para, assim, conquistar a sonhada vaga no Mestrado.


Fato é que poucos acreditavam que eu conseguiria, afinal competia com ex-alunos e estagiários do setor. Prova feita, 2º lugar garantido, e iniciei minha jornada. Após ser escolhida por um dos professores com quem tive contato em minha primeira visita, me foi possível conhecer melhor os laboratórios e as linhas de pesquisa do programa e, para a minha surpresa uma das linhas era voltada ao comportamento animal.


Imediatamente me identifiquei com os propósitos do laboratório que era coordenado pela agora conhecida Dani. Mas o que fazer? Um orientador já havia me escolhido... Bem, como mulher de personalidade forte que sempre fui, consegui convencer meu orientador a permitir que eu incluísse estudos comportamentais em minha dissertação e passei a ter a Dani como minha co-orientadora.


Quantos dias alegres, quantos dias frustrantes, quanto trabalho naqueles dois anos de pura dedicação. Quanto que a professora Daniela teve que suportar de críticas, a forma de agir de sua co-orientanda... Agradeço pelo imenso carinho nas conversas que buscavam me convencer a “dominar meu gênio” e que me ajudaram a ser a profissional que sou hoje.


Mas a relação com a Dani ia além do trabalho. Como foi difícil acompanhar etapas dolorosas de sua vida. A perda da mãe, seguida pelas difíceis questões de saúde que ela e o marido passaram. Me alegra saber que naquele período difícil, ela pode contar comigo e com outra colega para manter o laboratório funcionando, mesmo que por um pequeno período de tempo, durante sua necessária ausência. Me orgulho muito de ter tido a oportunidade de ser co-orientada por ela no mestrado e sua orientada no Doutorado. Acredito em meu coração que aprendemos muito uma com a outra, certamente eu muito mais do que ela, e que nesse período de convivência mais próxima, tivemos a oportunidade de construir laços de amizade, carinho e respeito mútuo. Só me resta dar os parabéns pela belíssima trajetória, Profa. Dra. Dani!

Gustavo Parfitt

Meu nome é Gustavo Parfitt natural de Pelotas e possuo Ph.D pela Universidade Federal do Rio Grande. Atualmente trabalho como Postdoctoral Research Associate na Western University, Canadá.


Para mim, é um prazer falar sobre a Daniela, com quem convivi durante um importante período de minha vida e carreira. Conheci a professora Daniela ainda como aluno de graduação no ano de 2007 durante uma entrevista para trabalhar em seu laboratório como bolsista de iniciação científica. Desde esse momento fui cativado a trabalhar com neurociência do comportamento e influenciado por todas as contribuições de seu trabalho para a área. Tive a oportunidade de tê-la como mentora no mestrado e doutorado e, durante esse período a Dr.ª Daniela, ou Dani como todos a conhecem, foi essencial para minha formação como pesquisador.

 
Sua mentoria teve extrema influência no meu modo de ver e pensar a ciência, além de um importante impacto em todos que passaram por seu laboratório, eu acredito. Uma das mais marcantes qualidades da Dani é a de sempre manter o grupo unido e coeso em seus objetivos, o que propiciou um ambiente de trabalho amistoso e produtivo. Em sua mentoria sempre motivou-nos a ir além, procurando abrir espaços para que os seus alunos se desenvolvessem de maneira independente e perseguissem suas ideias.

 
Sua trajetória como chefe de laboratório não foi só voltada para a pesquisa, Dani tem forte atuação na divulgação científica para a comunidade, de maneira especial para crianças em idade escolar. Durante esses oito anos em que estive trabalhando com ela posso recordar inúmeros momentos importantes, como principais destaco a publicação de meu primeiro trabalho e a organização do Seminário Nacional de Neurociência Aplicada à Educação.

 
Durante a organização do seminário, a capacidade agregadora da Dani foi essencial para, a partir de um grupo pequeno de trabalho, amplificar nossa eficiência com resultados que foram um sucesso. Estes serviram de base para diversas outras alçadas do grupo em neurociências e educação. Como resumo sua carreira como professora foi completa em todos os sentidos, gerando diversos egressos de seu laboratório que continuaram na academia como professores universitários e pesquisadores, além de um legado extenso em educação e divulgação científica.

Sara Silva Fernandes

Meu nome é Sara, sou psicóloga, natural de Rio Grande –RS. No ano de 2010 ingressei no curso de Psicologia na Universidade Federal do Rio Grande – FURG, no início participei de projetos com bons professores da psicologia. Logo tive o prazer de cursar as disciplinas de neurociências e de psicofarmacologia com a professora Daniela Barros, sua postura em sala de aula, excelente docente, e seu entusiasmo pela pesquisa nas neurociências me fez ter interesse na área.

 
Após uma visita ao laboratório de Neurociências, LabNeuro, tomei a decisão de conversar com ela, pude manifestar meu interesse em participar dos projetos sob sua orientação. Em seguida recebi o convite para ir nas reuniões do grupo e então pude começar como estagiária de Iniciação Científica. A Dani – sim, nesse momento já a chamava de Dani – me oportunizou fazer parte de um grupo de pesquisa, com o qual ela desenvolvia atividades de ensino, extensão e pesquisa com muito comprometimento. Fui incentivada a compreender mais a proximidade da psicologia com as ciências biológicas por ela e por seus orientandos, o LabNeuro não despertava apenas o interesse pelas neurociências, mas pela pesquisa em si, por tornar-se uma pesquisadora e por fazer uma boa formação acadêmica. Logo tive vontade de participar de um programa de mobilidade acadêmica internacional, e é claro tive apoio e orientação da Dani, onde além da parte burocrática e orientação da escrita do projeto também me incentivou a buscar o que eu desejava. No ano em que terminava a graduação a Dani passou a orientar também no Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde - FAMED, FURG, e assim tive o prazer de ser sua orientanda no mestrado. Foram dois longos anos desenvolvendo o meu projeto de pesquisa no lab, tendo tardes de orientações acadêmicas e de apoio sempre que necessário. Foram muitas tardes, muitas mensagens, ligações e conversas que fizeram dessa relação professora - aluna especial.

 
Bom, foi necessário descrever brevemente a minha formação para relatar que acompanhar um pouco do trabalho que a Dani desenvolveu me proporcionou não só crescimento acadêmico e profissional, como também crescimento pessoal. Pude observar a sua dedicação com a educação e com a pesquisa. Além disso, a sua capacidade de coordenar um grupo de trabalho e a realização de diferentes eventos de extensão para a comunidade. Ainda, sempre o fez acompanhado de preocupação e carinho com seus alunos e orientandos.

 
Dani, possuo muita admiração pela pessoa que és e por ser essa pesquisadora e professora tão comprometida.  Obrigada pelo cuidado!

© 2018 desenvolvido por Carpes