REDUÇÃO 2 sombra.png
  • Daniela Barros

(Con) Vivendo em tempos de Coronavírus

Atualizado: Jul 28



Estamos vivendo um período histórico, assim como a gripe Espanhola marcou uma fase de pandemia há cem anos. Agora esse momento chegou sem avisar. De repente entramos em um “retiro compulsório” dentro das nossas casas, desfizemos planos, remarcamos viagens, agendamos o horário no computador para que todos possam usar. Em casa o tempo todo emergem nossas vulnerabilidades, estamos expostos a uma intensidade de intimidade, nossas emoções ficam à flor da pele, medo, ansiedade aparecem como nunca. Se de um lado nossa “camuflagem social” desapareceu, de outro é a grande ocasião de procurar as pessoas que fazem sentido na nossa vida, conversar sobre as nossas angústias, inquietações, medos, descobertas, ideias criativas... Temos uma oportunidade gigantesca de trabalhar questões mais íntimas de autocuidado, perceber o vai e vem emocional. Permitir que os pensamentos venham, se modifiquem e passem. Dar-se conta de que as coisas, pensamentos, emoções não são permanentes, estão em constante mudança. Podemos revisitar nossos hábitos e automatismos e, focados no presente, apreciar os momentos de lucidez para estabelecer hábitos diferentes. Nos damos conta que somos parte de uma humanidade que sofre. Emerge com força total o sentimento de compaixão demonstrado por inúmeras ações concretas. A gentileza passa a ter um valor imenso. Surgem questionamentos: como posso ser gentil comigo mesmo (autocompaixão)? Como posso levar um pouco de carinho, sutileza, bondade para mim mesmo? Podemos cultivar essa atitude com auxílio da própria respiração, parando por alguns minutos e repetindo a cada inspiração e expiração que o ar que respiramos está impregnado de gentileza, bondade e compaixão. Assim como em uma emergência no avião, primeiro colocamos a máscara de oxigênio em nós mesmos e logo em seguida vamos auxiliar os outros. Isso possibilita ampliar nosso olhar de carinho e compaixão para as pessoas que estão ao nosso redor e para tantas outras que não conhecemos. Permite que tentemos ideias fecundas para exercitar a gentileza com os idosos, com os entregadores, com as pessoas que nos dão apoio, com as pessoas que tem mais necessidades. Finalizo parafraseando o “mantra” da psicóloga Karen Vogel “Este é um momento de sofrimento O sofrimento faz parte da vida Que eu possa ser gentil comigo nesse momento Que eu possa me dar a compaixão que eu preciso”

Para exercitar o autocuidado e compaixão, saiba mais em: Meditação coletiva autocompaixão com a psicóloga Ms. Karen Vogel https://www.youtube.com/watch?v=IqmXA_Mc3VE

Meditação de autocompaixão: Gentileza - com a psicóloga Ms. Karen Vogel https://www.youtube.com/watch?v=To5iFH7g2ZU

NEFF, K., GERMER, C. Manual de mindfulness e autocompaixão. Artmed, Porto Alegre, 2019


Dr.ª Daniela Martí Barros

Pesquisadora, professora e palestrante


[f] Facebook



#danielabarros #neurociencia #psicologia #cérebro

© 2018 desenvolvido por Carpes