REDUÇÃO 2 sombra.png
  • Daniela Barros

Gerenciando emoções durante a tempestade

Atualizado: Jul 28



Há poucos dias ouvi esta frase: “Estamos na mesma tempestade, mas em barcos diferentes”. Logo me veio em mente uma imagem com grandes ondas, ventos fortes, robustos navios, iates, barcos de pesca, jangadas e pequenos botes. Daria para fazer analogia em diferentes perspectivas, desde questões econômicas até emocionais. Me sinto mais à vontade para abordar aspectos emocionais.

Segundo Paul Gilbert, criador da Terapia Focada na Compaixão (TFC), temos três sistemas de gerenciamento emocional: o sistema relacionado a ameaça, o sistema relacionado à obtenção do prazer e o sistema relativo ao apaziguamento e tranquilidade. Essa ordem não é hierárquica, há uma franca interação entre eles.

Nestes tempos, o nosso sistema de ameaça que nos prepara para luta, fuga e paralisação está super ativo. As emoções de medo e ansiedade estão amplificadas, seja pelas incertezas, que vão desde prejuízos econômicos a perdas de entes queridos, seja ainda pelo excesso de informações que, sem querer, nos permitimos ficar expostos, gerando “infotoxicação”. Estamos vulneráveis e temos a nossa intimidade invadida. Quase todos trabalhando em casa, em Home Office não por opção, mas por quarentena. Dessa forma, os nossos colegas, professores dos nossos filhos, nosso chefe, estão dentro das nossas casas. É possível que tudo isso aumente o funcionamento do nosso sistema de estresse, liberando mais cortisol e adrenalina.

Diante desse cenário buscamos atividades aprazíveis que nos dão vitalidade, como dançar, cozinhar, ver algum filme, conversar sobre assuntos que nos motivam, entre tantas coisas que estamos redescobrindo. Há grande liberação de dopamina e ativação do sistema de recompensa. Isso tudo é muito bom! O perigo aqui é a busca de um prazer imenso e talvez compulsivo em trabalho, por exemplo, ter inúmeras reuniões por dia ou o abuso de bebidas alcoólicas.

O terceiro sistema e talvez àquele que neste momento demande mais atenção é o sistema de apaziguamento e tranquilidade. Somos mamíferos, possuímos um sistema de cuidado, onde buscamos a segurança e a conexão. Focar nesse sistema agora está diretamente relacionado à forma como passaremos por essa tempestade. Voltar o olhar primeiro para nós mesmos - lembre-se primeiro coloque a máscara de oxigênio em você e depois ajude o outro. Ter presente que emoções estamos experimentando, reconhecê-las, aceitá-las sem julgamento. Permitir que a nossa respiração seja impregnada de gentileza, bondade e compaixão, tudo isso aumenta a liberação de ocitocina e endorfinas.

Veja outras dicas que podem nos ajudar a gerenciar melhor nossas emoções

- Exercitar a gentileza, em pequenos atos. - Treinar a escuta ativa com você mesmo e com as outras pessoas. - Acolher a sua emoção e a do outro, sem julgar. - “Pegar leve” nas cobranças com as crianças, com os colegas, com os familiares. - Eleger duas coisas para fazer por dia (certamente faremos mais, mas se fizermos duas OK, “missão cumprida”). A gente se encontra na outra margem! Para saber mais: Gilbert P. Teoria Focada na Compaixão. Ed Hologrefe, Portugal, 2020.

Dr.ª Daniela Martí Barros

Pesquisadora, professora e palestrante


[f] Facebook



#danielabarros #neurociencia #psicologia #cérebro

231 visualizações2 comentários

© 2018 desenvolvido por Carpes